Fotos: SupCom ALERR

A má qualidade da água que chega à casa dos consumidores, motivada pela falta de manutenção periódica da rede de esgoto da cidade, serviços que são de atribuição da Companhia de Águas e Esgoto de Roraima (Caer), foi denunciada na manhã desta terça-feira, 15, pelo deputado George Melo (PSDC), durante sessão ordinária da Assembleia Legislativa do Estado.

O parlamentar afirmou que na sessão desta quarta-feira, 16, vai apresentar um requerimento à Mesa de Diretora da Casa pedindo que o presidente da Caer, Danque Esbell, seja convocado a explicar as razões que estariam levando a estatal a não prestar um serviço condizente com o esperado. A água é tratada como um serviço essencial pela Constituição Federal e em Boa Vista 80% do total da tarifa é para manutenção dessa rede de esgoto.

“Os esgotos da cidade, mesmo sem chuvas, estão transbordando, principalmente os que estão próximos às elevatórias como Ville Roy, São Vicente, na rua Coronel Pinto, próximo ao rio. No Mirandinha fica um odor insuportável, a cidade se transformou em uma fedentina porque os bueiros estão extravasando água de fossa. Não posso aceitar que um Estado que investiu em saneamento esteja nesta situação porque a manutenção dos esgotos não acontece. E sabe por que? Porque o dinheiro foi desviado”, denunciou.

A preocupação do parlamentar que a água imprópria para consumo é uma questão de saúde pública. “Estou denunciando como alerta para que os órgãos de controle façam alguma coisa, para que dentro de muito pouco tempo não tenhamos uma população doente. Foram investidos milhões nessa rede de esgoto, e o consumidor paga 80% na conta de água, ou seja, a Caer é muito bem remunerada para cuidar da manutenção dos nossos esgotos. Os órgãos do meio ambiente multam as pessoas que jogam materiais indevidos no rio, mas a Caer está jogando é nas ruas, e quando chove a água leva esses detritos para o rio. Quer dizer, vai contaminar o rio de qualquer jeito”, ressaltou.

Para o parlamentar, a Assembleia Legislativa também deve se manifestar diante dessa situação. “A Caer por muitos anos foi uma empresa sólida, um orgulho para o Estado, mas hoje nada mais é que uma Codesaima (Companhia de Desenvolvimento de Roraima). Todo tipo de corrupção está acontecendo na Caer. Estou abrindo os olhos dos órgãos de controle e da Assembleia, que tem obrigação de fazer alguma coisa. Vou convocar o presidente da Caer para vir até a Assembleia, na próxima semana, dar explicação sobre essa situação”, destacou.

Durante o discurso, Melo ressaltou que a Caer se tornou um ‘cabide de emprego’. “Eles estão dilapidando o patrimônio da empresa, a folha subiu estratosfericamente, triplicaram o número de pessoal e a empresa se tornou inviável, além dos contratos que são superfaturados. Nós tínhamos uma água de excelente qualidade e estamos perdendo isso por irresponsabilidade dos gestores”, complementou.

 

Marilena Freitas

SupCom ALERR