A descontinuidade da oferta de energia elétrica, um dos maiores gargalos enfrentados pelos moradores dos municípios de Caroebe, São João da Baliza e São Luiz, motivou a Superintendência do Fiscaliza Roraima da Assembleia Legislativa de Roraima a realizar nesta terça-feira, 8, uma nova visita técnica de campo. As reclamações dos munícipes foram feitas durante o evento Assembleia ao Seu Alcance, realizado no dia 26 de abril. No sul do Estado, a equipe aproveitará para verificar as denúncias relativas à falta de medicamento e de merenda escolar, além da intrafegabilidade da Vicinal 10, localizada no município de Caroebe.

A primeira visita para averiguar a veracidade das denúncias, conforme informou a assessora técnica do Fiscaliza Roraima, Odalene Dantas, foi junto à Usina Hidrelétrica de Jatapu, constatando que os municípios estão interligados a geradora de energia e que, em virtude da manutenção em uma das turbinas, estão sendo produzidos 75% da capacidade total, produção suficiente para atender demanda dos três municípios.

Mas o que estaria acontecendo se existe energia elétrica suficiente e há constante interrupção no fornecimento da prestação do serviço, que é considerado essencial? “Na primeira visita constatamos que cabe à CER (Companhia Energética de Roraima) a geração da energia, enquanto que a distribuição é de responsabilidade da Eletrobras. Apuramos também que no município de São João do Baliza existe um centro de distribuição de energia, e que os moradores podem se beneficiar de três diferentes fontes de geração de energia, a produzida pela Usina de Jatapu, a do Complexo de Guri e de uma termelétrica, cabendo à Eletrobras escolher qual dessas é a melhor para distribuição. Nossa visita in loco ao escritório da Eletrobras é para entender o que está acontecendo de fato, já que existem três diferentes fontes de energia”, explicou Odalene.

Ela explicou que já tomou providências com relação às demais reclamações recebidas dos moradores, durante o Assembleia ao Seu Alcance, relativas às pontes, asfaltamento da estrada que dá acesso à Hidrelétrica de Jatapu, desmatamento e a criação de uma rádio comunitário e um ponto de lazer e cultura.

“Já enviamos ofício para todos os órgãos responsáveis pela resolução dos problemas relatados pela população, e eles têm prazo de 15 dias para responder. No ofício enviado ao Denit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte), com relatório técnico e fotos, pedimos explicação com relação às pontes, principalmente a que fica sobre o Rio Taboca, na entrada do município de Caroebe, que está bem danificada. Enviamos também ofício à Femarh (Fundação Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos) sobre o desmatamento de mata ciliar no rio Caroebe”, detalhou, ao salientar que o prazo termina no dia 26 deste mês.

A Superintendência pediu ao CAM (Centro de Apoio aos Municípios), da Assembleia Legislativa de Roraima, para viabilizar a criação da rádio comunitária e do ponto de lazer e cultura. E como há reclamações relativas à cobrança diferenciada de energia elétrica, Odalene informou que enviou um ofício ao Procon Assembleia para que procedesse a verificação dessa demanda, já que se trata de uma relação consumerista que atinge direto o consumidor.

Fiscaliza Roraima – A Superintendência do Fiscaliza Roraima é um canal entre a população e a Assembleia Legislativa de Roraima, que pode denunciar a má prestação de serviço por parte do poder público, seja nas esferas federal, estadual e municipal. O Fiscaliza Roraima funciona como uma ‘ponte’ para a população, que de posse das reclamações busca junto aos órgãos responsáveis solucionar as demandas que afligem a sociedade. Informações pelo 0880-095-0047.

 

Por Marilena Freitas

SupCom/ALE-RR