A falta de recursos para investimento, de água, energia elétrica e estradas precárias atrasam os planos do agricultor Joaquim Martins, morador do município de Alto Alegre, cidade a 95 quilômetros de Boa Vista, em iniciar linhas de produção. Vivendo há 10 anos na região, Martins afirma que a ausência de incentivo é um dos motivos para a economia não andar.

“Não só eu, mas muitos outros estão na mesma pendência, na mesma vontade e na mesma disposição em querer produzir. Muitos pais de famílias estão nessa expectativa de um dia chegar estrada, recurso, água e, de fato, chegando, com certeza vamos produzir”, reforçou o agricultor, que deseja desenvolver em Alto Alegre os plantios de milho, macaxeira, arroz, banana, feijão, além de criar porco e galinha.

Joaquim Martins foi um dos 25 donos de chácaras participantes de uma reunião com representantes dos programas permanentes da Assembleia Legislativa de Roraima, CAM (Centro de Apoio às Câmaras) e Fiscaliza Roraima, neste sábado, no Núcleo da Assembleia Legislativa naquele município. No encontro, todos os convidados apresentaram as demandas mais pertinentes enfrentadas no dia a dia do homem e da mulher do campo.

“Essa ação foi ótima porque a gente tá distante dos grandes Centros. Os Poderes estão distantes de nós e o produtor rural fica à mercê da sorte no campo. Sem ajuda, jamais o produtor rural vai poder conseguir decolar, eles têm a estrutura para ajudar a gente”, complementou Martins.

O presidente da Associação dos Chacareiros Frutos Verde, Valdim Rodrigues de Moura, acrescentou que cerca de 200 famílias enfrentam estas necessidades apresentadas pelo agricultor Joaquim Martins. Para ele, é importante que parcerias sejam firmadas para que todos tenham oportunidades iguais na produção. “Hoje, por exemplo, temos a necessidade fundamental da água, o produtor só vai conseguir manter a produção se ele tiver a água e, infelizmente, não é possível chegar ao ponto de ele produzir”, contou.

Ele acredita que após essa reunião, os objetivos do grupo sejam alcançados. Destacou ainda a falta de eletrificação rural. “A energia na Vicinal Bom Sucesso é privada. Para poder puxar um fio tivemos que pagar para fazer, pois na época a CERR [Companhia Energética de Roraima] disse que não podia passar lá. Quem pode, compra um transformador que custa algo em torno de 1,6 mil reais o mais barato e a maioria ainda não tem esse equipamento”, lamentou o presidente da associação.

Após a apresentação das demandas por parte dos chacareiros, a coordenadora de projetos da Assembleia Legislativa de Roraima, Eumaria Aguiar, informou a eles sobre algumas soluções para a falta de energia elétrica nas propriedades. Entre elas um projeto de instalação de transformadores por parte da Eletrobrás Distribuição Roraima, no total de 90. “Há recursos disponíveis para instalação de 90 subestações. A proposta é que juntem duas casas para uma subestação atender dois chacareiros. Há alguns pontos em relação a medida para construção dessas casas”, informou.

Conforme explicou Eumaria, antes da reunião deste sábado e com conhecimento sobre as demandas, as equipes dos programas da Assembleia procuraram a Eletrobrás para saber o que poderia ser feito em relação a amenizar a situação destas famílias. “Fizemos um prévio levantamento e fomos a Eletrobrás para verificar quais os recursos disponíveis para que a gente pudesse informar aos chacareiros quais os procedimentos que eles devem adotar para serem atendidos em projetos com verbas destinadas”, destacou.

Ela disse que o Poder Legislativo tem a preocupação com o desenvolvimento do Estado e, através dos Núcleos implantados nos municípios, será possível conhecer as necessidades dos moradores “Sabemos que hoje o estado de Roraima necessita desse apoio, precisamos crescer, precisamos aumentar nossa produção e é com esse intuito que a Assembleia Legislativa hoje esteve aqui no município de Alto Alegre para otimizar e assessorar os chacareiros”, finalizou.

Demandas, opiniões, além de sugestões e reclamações podem ser feitas diretamente ao Fiscaliza Roraima pelos telefones 4009-4835 ou 98402-1735, por meio ainda do endereço eletrônico www.al.rr.leg.br/fiscalizaroraima.

Por Yasmin Guedes

SupCom/ALE-RR