Como parte da programação 2018 do Núcleo de Promoção, Proteção e Atendimento às Vítimas de Tráfico de Pessoas, da Assembleia Legislativa de Roraima, duas escolas receberão já no mês de fevereiro, o projeto Educar é Prevenir, que tem o objetivo de capacitar à comunidade escolar sobre como identificar e atender as vítimas de tráfico humano.

Segundo a coordenadora do Educar é Prevenir, Elizabete Brito, a primeira instituição de ensino será Gonçalves Dias, localizada na avenida Getúlio Vargas, bairro Canarinho, que receberá o projeto durante uma semana, com atividades que serão desenvolvidas de 5 a 9 de fevereiro. Na sequência será contemplada a Escola Antônio Carlos Natalino, situada na rua José Francisco, bairro Jóquei Clube, de 26 de fevereiro a 2 de março.

“O projeto tem a finalidade de empoderar toda comunidade escolar sobre a prevenção, para que os estudantes aprendam a identificar o tráfico de pessoas. É um projeto que envolve desde o gestor até o porteiro, capacitando todos para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, para que quando a escola receber uma notificação de alguém que esteja sofrendo assédio ou abuso, ela saiba como lidar e encaminhar a rede de proteção”, afirmou a coordenadora do projeto.

Em 2017, segundo Elizabete, 11 escolas estaduais foram atendidas, sendo que destas, seis foram em Boa Vista e cinco no interior de Roraima. “Todas as escolas que receberam o projeto apresentaram resultados positivos. Hoje todos aqueles que participaram das capacitações estão mais atentos aos sinais de perigo quanto ao tráfico de pessoas e também já sabem como atender uma possível vítima e para onde encaminha-la”, disse.

Manual – Para este ano, está previsto também a construção e o lançamento do Manual de Referência para o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Esse material, segundo a coordenadora do Núcleo de Promoção, Proteção e Atendimento às Vítimas de Tráfico de Pessoas, Socorro Santos, será direcionado às entidades que fazem parte da rede e também para a sociedade. “Este ano vamos reforçar o atendimento e levar ainda mais informação a sociedade, por meio desse manual, que será repassado a todos aqueles que estão engajados nesta luta”, adiantou.

 

Por Tarsira Rodrigues

SupCom/ALE-RR