De agosto a dezembro de 2017, o programa Cine ALE Cidadania, da Assembleia Legislativa de Roraima, levou 4.396 estudantes de escolas públicas da Capital, do interior e de comunidades indígenas de Roraima ao cinema. A ideia com o programa é promover a educação e a conscientização sobre problemas sociais por meio do cinema.

No mesmo período, 21 instituições de ensino passaram pelo programa, sendo nove em Boa Vista e 12 em outros municípios, sendo quatro escolas em Rorainópolis (Sul do Estado), três em Caracaraí (Centro-Sul), uma no Cantá (Leste) e quatro em Amajarí (região Norte de Roraima). Desde a implantação do programa, em 2013, foram 21,828 mil estudantes que tiveram acesso à arte cinematográfica, de 87 escolas (51 da capital e 36 do interior).

O Cine ALE Cidadania, pela primeira vez, levou a estrutura de uma sala de cinema a duas cidades durante a realização do programa Assembleia ao Seu Alcance, em Rorainópolis e Caracaraí, agosto e outubro, respectivamente. Com telão de led de ultima geração, acústica própria para sala de cinema e climatização adequada, os participantes receberam ainda pipoca, água e refrigerante para acompanhar filmes como ‘Power Rangers’, ‘Guardiões da Galáxia Volume 2’ e ‘A Bela e a Fera’.

Nessas sessões, o Cine ALE Cidadania reuniu aproximadamente 2 mil estudantes das escolas, entre estaduais e municipais, de Rorainópolis: Antônia Tavares da Silva, Hildemar Pereira de Figueiredo, Joselma Lima de Sousa e Padre Eugência Possamai; Caracaraí: Idineia Barbosa, José Vieira de Sales Guerra e Manoel Pereira.

“O ano que passou foi um sucesso para o Cine ALE, pois em um tempo curto, no último semestre, o programa atingiu mais de quatro mil estudantes. Fechamos com balanço positivo e fico contente porque conseguimos atingir esses jovens com a sétima arte”, destacou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Jalser Renier (SD).

Para o parlamentar, o programa atingiu outros patamares como a descoberta de novos talentos no campo da música, da poesia e da sustentabilidade. Além disso, oportunizou o acesso dos estudantes a educação por intermédio de vídeos institucionais sobre bullying, gravidez na adolescência e prevenção as drogas.

E diante desse material, em dezembro de 2017, a gestão do Colégio Militar Irmã Maria Tereza Parodi, localizada no bairro Cidade Satélite, solicitou ao Poder Legislativo a exibição do filme ‘Extraordinário’, que aborda sobre bullying e participou do Cine Ale com aproximadamente 300 alunos. “Quando chegávamos a escola, sempre perguntávamos qual era o problema mais crítico e em primeiro lugar foi o bulliyng”, declarou o coordenador do programa, Ademir Barros.

A partir do próximo mês, após a semana do Carnaval, Ademir Barros garantiu que as atividades do Cine ALE Cidadania retornarão ‘com força total’ e a meta é abranger outras instituições que ainda não participaram do programa. “Teremos uma longa caminhada aí pela frente”, frisou.

Por Yasmin Guedes

SupCom/ALE-RR